aprendendo

A gravidade do pecado

Uma das minhas histórias preferidas relatadas na Bíblia, do antigo testamento, é a da vida de José. Eu até já escrevi aqui sobre ele em outras ocasiões.

José foi um jovem, que era o filho mais amado de seu pai e por isso odiado por seus irmãos mais velhos. Era um filho obediente e que trazia notícias da má conduta dos irmãos ao conhecimento de seu pai e também tinha sonhos que o deixava em uma posição superior aos irmãos, o que aumentava ainda mais a raiva que eles sentiam dele.

Por esses fatores, intentaram matá-lo em certa oportunidade, mas pelo poder de Deus que já tinha planos para ele, ele foi vendido como escravo e levado para longe de tudo e de todos que conhecia. Ali no Egito, José começa uma nova vida de sofrimento e aprendizado.

 A primeira coisa que me chama atenção na vida dele, é que as pessoas podiam ver a presença de Deus com ele (vs.3), e isso fazia com que fosse prospero e abençoado no trabalho. Por essa razão, ele se tornou chefe da casa de um oficial do Faraó chamado Potifar. É nesse momento que vemos uma conduta impecável na vida daquele rapaz.

Em Gênesis 39 vemos que, enquanto ele estava trabalhando e liderando a casa de Potifar, a mulher do seu senhor se interessou por José porque ele era bonito (vs. 6) e insistia em se deitar com ele. José, um jovem de caráter, recusou esse convite, que para sua idade poderia ser bem difícil, mas ele o fez por um motivo e é disso que quero falar. Eis as palavras de José:

“Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem; Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? Gn 39:8,9

José poderia falar e dar vários motivos para recusar aquele convite sedutor, mas ele tinha no seu coração algo a considerar de muita gravidade. José sabia que se fizesse aquilo que ela queria, estaria pecando contra Deus. É certo dizer, que esse pecado afetaria a vida de Potifar também, mas José considerava ainda mais grave pecar contra Deus, ofender a Deus com aquele ato.

Quando estamos em situação de tentação, será que temos esse temor e essa consciência de que estaremos pecando contra Deus diretamente, antes de estar pecando contra alguém? O pecado é uma ofensa contra a santidade e justiça de Deus. Não devemos achar que é coisa pouca. Temos que trazer a mente que ele é grave. Não devemos minimizar ou dar outros nomes ao pecado. Um devocional que li sobre o tema diz: utilizar-se deste subterfúgio ou eufemismo para nomear nossos pecados contra Deus, apenas enfraquecerão nossas resistências e banalizarão os danos que os pecados causam em nós.¹

José não pensou que seria um momento de fraqueza, ou um escorregão se fizesse aquilo. Ele viu o pecado como ele realmente é: uma séria ofensa contra o Senhor, e ele não subestimou a gravidade do pecado. 

O autor do devocional ainda diz: Os padrões morais de Deus são absolutos. Somente quando o pecado for visto como algo abominável diante do Senhor teremos a motivação para fazer julgamentos morais corretos.
Dar ao pecado um nome mais suave não mudará a afronta a Deus nem as consequências que nos trarão.²

Pense que, Jesus teve que morrer em uma cruz, derramar seu sangue para pagar por seus pecados. Não é algo sem importância ou de preço baixo. Para podermos ficar livres do poder dominador e escravizador do pecado, Jesus teve que pagar um alto preço, para que não tivéssemos nós mesmos que pagar com a morte eterna.

Quando formos colocadas em situação de tentação e de escolha diante do pecado, devemos lembrar disso. Nosso Senhor nos dá força e graça para fugir e dizer não ao pecado, assim como José fez várias vezes naquela casa. E como aconteceu com ele, poderemos sofrer acusações injustas dos homens, mas saberemos que não ofendemos nosso Deus. Outra certeza que temos é que, em meio a esse sofrimento, o Senhor estará conosco nos dando graça e vigor para suportar. Afinal, ele disse que seriamos bem-aventurados quando sofrêssemos por causa da justiça que vem dele.

Que nossas mentes e corações estejam no lugar certo em relação ao pecado e que busquemos no Senhor Jesus o poder de vencer esse inimigo terrível.

Oração: Senhor Jesus, nos ajude a viver aqui, lembrando do seu sacrifício e do grande preço que ele custou. Que no momento da tentação, possamos vencer pelo teu poder e permanecermos firmes e fiéis aos teus ensinos e mandamentos. E se cairmos, nos ajude a confessar e nos achegar perto de ti, que é um Deus amoroso, gracioso e perdoador. Amém.

(1 e 2.Os trechos citados são do devocional – O pecado tem outro nome – Autor – CPH, Dia 16 de Janeiro do Nosso Andar Diário – Diário de oração).

Até o próximo post…=]

Para mais conteúdos, nos siga no instagram

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s