aprendendo

O nome que devemos usar

Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. (João 14.14)

Que promessa ampla! Quer sejam grandes, quer sejam pequenas, todas as nossas necessidades estão abrangidas nas palavras “alguma coisa”. Ó minha alma, aproxima-te com liberdade do trono de misericórdia e ouve o Senhor dizer-te: “Abre bem a tua boca, e ta encherei”.

Que promessa sábia! Temos de pedir sempre em nome de Jesus. Enquanto isso nos encoraja, também honra a Cristo, sendo um argumento que podemos usar com frequência. Ocasionalmente, quaisquer outros argumentos são rejeitados, especialmente aqueles que poderíamos extrair de nosso relacionamento com Deus ou de nossa experiência com a graça divina. No entanto, em tais ocasiões, o nome de Jesus é tão poderoso quanto sempre o foi, diante do trono de Deus; e podemos recorrer a este nome com plena segurança.

Que oração instrutiva! Não posso suplicar coisa alguma sobre a qual eu não posso colocar a mão e o selo de Cristo. Não ouso utilizar o nome de meu Senhor em uma petição egoísta e voluntariosa. Posso usar o nome do Senhor apenas em súplicas que Ele mesmo faria, se estivesse em meu lugar. É um privilégio elevado ser autorizado a pedir em nome de Jesus, como se Ele mesmo estivesse fazendo a petição. Nosso amor, porém, nunca permitirá que coloquemos o seu nome em súplicas que Ele não endossaria.

Estou pedindo aquilo que Jesus aprova? Ouso colocar seu selo sobre minhas petições? Então, eu tenho aquilo que estou buscando de meu Pai.

Devocional Promessas preciosas de Charles H Spurgeon.

disponibilizado pelo voltemos ao evangelho.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s