aprendendo

Quem Cristo é? (2)

Obra do Filho

Após falar de como o Pai falou a nós através do Filho, o escritor aos Hebreus passa a descrever esse Filho, como se seus leitores precisassem se lembrar dos motivos pelos quais o Filho de Deus era superior a tudo o que veio antes dele e a tudo o que viria após ele. No versículo 3 vimos alguns atributos do Filho de Deus. É interessante notar que algumas dessas palavras são utilizadas no Antigo Testamento. Sete, por exemplo, era a imagem e semelhança de Adão. Moisés, ao descer do monte, tinha em sua face um resplendor da glória de Deus. Os sacrifícios eram ordenados por Deus para representar o perdão de pecados.

Contudo, nenhum dos exemplos citados se compara a como o Filho é descrito aqui. Sete era a imagem e semelhança de Adão, um homem caído; Moisés resplandecia temporariamente a glória de Deus em sua face, mas a cobria com um véu para que os filhos de Israel não vissem que a glória da Antiga Aliança era temporária; os sacrifícios eram insuficientes e incapazes de purificar a mente do pecador. Vemos então o grande contraste que Cristo traz não somente em comparação a estes homens, mas também a todos os outros conhecidos. Sete, mesmo afligido pelo pecado, era um homem justo e temente a Deus, como podemos ver em sua descendência. Ele morreu e está aguardando a ressurreição dos mortos. Semelhantemente Moisés, o maior dos profetas do AT, conversava com Deus, era conhecido por Deus, irradiava a glória de Deus, recebeu o perdão de pecados, morreu e está aguardando a ressurreição dos mortos. Elias, um dos grandes profetas, pregou a reconciliação ao povo de Israel, manifestou sinais, morreu e está aguardando a ressurreição dos mortos. Mas sobre o Filho, a exata expressão do Pai e o resplendor de Sua glória, justo, Deus, conhecido por Deus, trouxe reconciliação por meio dele mesmo, morreu, mas não está aguardando a ressurreição dos mortos, Ele na verdade purificou os pecados de outros e está assentado à direita do Pai. Todas as grandes personagens que já existiram estão aguardando a ressurreição dos mortos, mas o Filho está à destra de Deus. O Filho é superior em todos os aspectos já mostrados na humanidade.

Mas o escritor não para por aí. Não é suficiente falar que Jesus é superior a seres humanos para que o reconheçamos como Deus. É necessário falar que Jesus está acima da criação de Deus que está acima dos seres humanos: os anjos.

O Filho é superior aos anjos

(…) tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles. Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? Hebreus 1:4-5

O escritor aos Hebreus faz vários contrastes entre Jesus e os anjos. Algo que devemos ter em mente é que, como o escritor aos Hebreus está escrevendo para judeus convertidos, esses homens tinham um contexto judaico e uma teologia desenvolvida sobre os anjos. Para entendermos melhor esse contraste precisamos nos atentar para o que os anjos representavam para os judeus.

Diferentemente do que foi pintado nas eras medievais, os anjos não assemelham a crianças peladas com asinhas e uma auréola na cabeça. A primeira menção aos anjos nas Escrituras ocorre em Gênesis 3.24, onde Deus colocou querubins e uma espada para proteger a árvore da vida contra a humanidade recém expulsa do Éden. Veja que na primeira aparição dos anjos eles se manifestam como instrumentos de punição aos homens, não lhes permitindo comer da árvore da vida. A segunda aparição, também no livro de Gênesis, ocorre quando o Senhor e dois anjos aparecem a Abraão no capítulo 18. Abraão recebe os três com tanto temor que se prostrou em terra diante deles. No capítulo seguinte, aqueles dois anjos vão para Sodoma e Gomorra para destruir aquela cidade. Outro episódio de aparição de um anjo que mostra o quão poderosos esses seres são é quando Deus envia um anjo para matar 185 mil homens assírios.

Veja como nesses episódios os anjos aparecem de forma semelhante ao que o escritor aos hebreus disse: Ainda, quanto aos anjos, diz: Aquele que a seus anjos faz ventos, e a seus ministros, labareda de fogo; Hebreus 1:7.

Outros episódios são quando Moisés recebe a Lei, a visita angelical a Daniel, os pastores que contemplam o exército de anjos, o sonho de Jacó, a visão de Ezequiel, a visão apocalíptica de João, o anúncio do nascimento do Senhor. Em todos esses episódios os anjos são retratados como seres poderosos que inspiram temor.

É importante agora retornamos para uma citação importante que é utilizada para fazer esse contraste entre os anjos e o Filho: Eu, porém, constituí o meu Rei sobre o meu santo monte Sião. Proclamarei o decreto do Senhor: Ele me disse: Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei. Pede-me, e eu te darei as nações por herança e as extremidades da terra por tua possessão. Com vara de ferro as regerás e as despedaçarás como um vaso de oleiro. Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos advertir, juízes da terra. Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos nele com tremor. Beijai o Filho para que se não irrite, e não pereçais no caminho; porque dentro em pouco se lhe inflamará a ira. Bem-aventurados todos os que nele se refugiam Sl 2.6.

O texto no Salmo 2 fala de forma peculiar algumas características do reinado messiânico. Ele será um reinado marcado por vara de ferro, temor, tremor e alegria. Perceba que esse texto traz um chamado à submissão, mas uma submissão que é marcada por alegria. Veja que a vara de ferro está destinada àqueles que forem insubmissos, enquanto àqueles que se submetem é prometido temor, tremor e alegria.

Com a palavra alegria em mente retornemos agora a Hebreus: mas acerca do Filho: O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; e: Cetro de equidade é o cetro do seu reino. Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso, Deus, o teu Deus, te ungiu com o óleo de alegria como a nenhum dos teus companheiros. Hebreus 1:8,9

e olhemos agora para Isaías 61 onde diz:

O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória. Isaías 61:1-3

Para que esses textos façam mais sentido para nós, precisamos nos lembrar que essa carta foi escrita para uma comunidade que estava sendo perseguida e prestes a vacilar em sua fé, e que o escritor, para fazê-los ter mais segurança em sua fé em Cristo os lembrou da superioridade de Cristo diante dos seres mais poderosos criados por Deus e dos mensageiros mais importantes das Escrituras. Eles precisavam se lembrar, no momento de perseguição e tristeza deles que Jesus perdoa pecados, reina, tem o óleo de alegria e permanece para sempre. A permanência daquela comunidade estava atrelada a colocar toda sua esperança em Cristo e em sua obra perfeita, e pense no tamanho do alívio que aqueles homens tiveram quando foram lembrados de que o cetro do Cordeiro é de justiça. Diante da perseguição eles foram lembrados da alegria e da justiça que provinham apenas do Cordeiro.

Mas como isso afeta a minha vida? O que isso significa para mim? Nós precisamos nos lembrar que aquilo que aquela comunidade estava passando é algo que também estamos sujeitos a passar. Às vezes as dificuldades da vida nos fazem enxergar uma imagem diferente daquela que as Escrituras nos passam. Aqueles judeus haviam recebido a pregação do evangelho, mas estavam quase abrindo mão da fé porque haviam se esquecido em quem tinham colocado a fé. O mesmo acontece conosco.

Várias imagens de Jesus nos são mostradas. Temos a imagem do Jesus coach que veio para te dar uma vida perfeita, uma imagem do Jesus rico que veio te fazer rico, uma imagem do Jesus hipster paz e amor que só ama, a imagem do Jesus que dança com você, a imagem do Jesus que você tira a bota dele e põe, veste a camisa dele… Enfim! Nenhuma dessas imagens de Jesus é suficiente para te dar forças para vencer a tribulação! Assim como aquela comunidade, precisamos da imagem do Jesus soberano, acima de toda a criação, o resplendor da imagem do Pai! Todos os mandamentos em Hebreus estão ancorados na obra de Cristo (passado), em quem Cristo é (presente) e nas promessas de Cristo (futuro)!

• Para o povo no deserto, Ele foi a rocha que lhes dava água!

• Para a mulher samaritana, a água da vida!

• Para o povo em trevas, luz!

• Para aquela comunidade, o Rei soberano!

• Para o morto Lázaro, a vida!

• Para o perdido, o Caminho!

• Para o faminto, o pão da vida

• À vacilante igreja de Éfeso, o poderoso que tem em seu poder os anjos e que se faz presente na igreja

• À igreja perseguida e sofredora de Esmirna, a ressurreição e a vida

• À igreja de Pérgamo que sofria com o domínio de satanás, aquele que vem para trazer juízo e justiça com Sua Palavra

• À igreja de Tiatira que sofria com a dominação e iniquidade de uma falsa profetisa, Ele se mostra como o verdadeiro Filho de Deus, assim como no Salmo 2

• À igreja morta de Sardes, aquele que conserva o nome no Livro da Vida

• À fraca igreja de Filadelfia, aquele que tem poder para guardá-los da provação

• À necessitada igreja de Laodiceia, aquele que tem tudo o que ela precisa.

Mas como eu aplico tudo isso à minha vida? Olhe para o Jesus das Escrituras em todos os aspectos da sua vida. Não se iluda com uma imagem recente de Jesus. Encontre forças para continuar na caminhada de fé tendo sua vida embasada na imagem real de Jesus, pois Ele é o Cristo, Ele é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Ele é! Mas não podemos nos esquecer que todas essas afirmações têm como objetivo fazer sua igreja permanecer firme no propósito para a qual foi chamada, e que se você não faz parte desse corpo, a exortação que fica para você é a mesma deixada pelo apóstolo Pedro: (…) arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos seus pecados, e vocês receberão o dom do Espírito Santo. Atos 2:38.

Por fim: Aquele que dá testemunho destas coisas diz: — Certamente venho sem demora. Amém! Vem, Senhor Jesus! A graça do Senhor Jesus esteja com todos. Apocalipse 22:20,21

até o próximo post…=]

(texto do nosso colaborador Bruno Mota Soares)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s