aprendendo

As quatro estações espirituais!

Esse não foi um estudo que desenvolvi por completo, eu li e pesquisei sobre o assunto e o adaptei para o nosso encontro. Posso enviar o link do texto original em nosso grupo, se vocês quiserem. Lembrando, também, que não é um estudo de base completamente bíblica, como seria um estudo sobre o Fruto do Espírito ou as virtudes da mulher virtuosa, onde lemos verso por verso diretamente da Bíblia e aplicamos para nossa realidade. É um estudo inspirado na Palavra em comparação com nossa vida cristã, e minha oração é que ele seja edificante para você assim como foi para mim.

Dia 22 de setembro, é o dia que inicia a estação da primavera em nosso hemisfério. Em nosso versículo tema está explícito a quem pertence e também realiza essas mudanças de estações: ao Criador de tudo e todas as coisas, nosso Deus.

Peço que você abra sua Bíblia em Daniel capítulo dois. Se o lermos todo, entenderemos que o contexto de Daniel não é o mesmo do qual iremos ver hoje, nesse capítulo ele estava louvando e glorificando a Deus por ter dado a ele sabedoria e a interpretação do sonho que Nabucodonor teve. Mas para dar introdução ao nosso tema “As Quatro Estações Espirituais”, vamos ler apenas três versículos que nos auxiliarão em nosso estudo:

Daniel 2:20-22: “Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus, de eternidade a eternidade, porque dele é a sabedoria e o poder; é ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.”

“É ele quem muda o tempo e as estações”. DEUS! Não fadinhas que voam sem os humanos perceberem e com sua varinha trocam as cores das folhas, como alguns desenhos tentam mostrar para as crianças. Em sua adoração Daniel estava afirmando e exaltando ao Senhor Criador pelos seus feitos, tanto na natureza quanto em pessoas. Assim também Salomão acrescenta que tudo tem um tempo determinado debaixo do céu (Ec. 3:1). Abra sua Bíblia em Eclasiastes 3 e observe quantas vezes a palavra tempo aparece. No capítulo todo essa palavra aparece 32 vezes, sendo que do versículo 1 ao 8 são 30 vezes. Se nosso Deus, que é Eterno, diz tanto sobre tempo em sua Palavra deve ser algo que devemos aprender e observar.

Se abrirmos em Gênesis, o livro que nos ensina sobre o início da criação, no capítulo 8, versículo 22 lemos a promessa do Criador ao dizer que “Enquanto durar a terra, não deixará de haver sementeira e ceifa, frio e calor, verão e inverno, dia e noite”, falando diretamente sobre a natureza. E, ao abrirmos em Atos, livro que nos ensina sobre o início da igreja, no capítulo 14, versículo 17, vemos o que Paulo e Barnabé disseram ao povo de Listra ao acharem que eles fossem deuses “contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria”. Dando-vos, dando a vocês, pessoas, e dando para que o coração se encha de fartura e alegria. Isso nos remete ao espiritual, não ao que é da natureza. Percebem como há ligação?

Tudo foi criado por meio dele e para ele, como vemos em Colossenses 1:16, então hoje iremos fazer um paralelo entre as estações criadas por nosso Senhor Criador e as estações espirituais pelas quais passamos em nossa vida cristã. Assim como cada estação na natureza tem uma identificação particular (primavera = flores / verão = calor / outono = frutos / inverno = frio) e seu propósito, aqui vamos observar as estações espirituais para podermos identificar o que estamos passando em nossa vida espitirual para enterndermos o propósito de Deus nesse momento, estando atentas aos aprendizados e a beleza de cada uma delas.

PRIMAVERA: Tempo do florescer das promessas

Cânticos 2:11-13a: Porque eis que passou o inverno, cessou a chuva e se foi; aparecem as flores na terra, chegou o tempo de cantarem as aves, e a voz da rola ouve-se em nossa terra. A figueira começou a dar seus figos, e as vides em flor exalam o seu aroma […]”


A primavera é a estação que sucede o inverno, uma estação com clima mais leve e com pintura colorida, que com suas flores e cores alegram os olhos e o coração e com seus cheiros aguçam nosso olfato e alegram nossa barriga. Na primavera podemos observar, principalmente pelas árvores, a renovação das folhas, da copa, no brotar e florescer de flores a alegria da renovação de algo que parecia tão triste e sem solução na árvore frondosa que era antes do rígido inverno. Porém, não exatamente como antes, mas mais forte, mais resistente e vendo a promessa da renovação na troca de estação acontecer de maneira real e visível em um corpo que parecia não ter mais volta.

Encontramos na Bíblia várias passagens onde somos comparados a árvores. Em Salmo 1:3 diz que o homem bem-aventurado “Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem-sucedido.”. Também vemos em Salmo 92:12-15 que o justo é como a palmeira e o cedro do Líbano, onde na velhice darão ainda frutos. Podemos comparar a primavera a estação espiritual onde nosso espírto é renovado, onde vemos as promessas do nosso Sublime Deus se cumprindo após um inverno frio para a alma que estava em sofrimento. Depois de um período onde nos sentimos como uma árvore seca rogando a Deus para nos ajudar a passar pela prova necessária, podemos sentir e ver o renovar das forças, o desaborchar das flores e o desfrutar da brisa do refrigério na alma e das chuvas de bênçãos que somente nosso Pai, o Criador e Supremo sustentador de todas as coisas, pode nos dar.

VERÃO: Tempo das águas

Água que cai em forma de chuva, água para beber, água para se refrescar, água é o que mais queremos nessa estação. Verão, a estação marcada e lembrada pelo seu intenso calor, onde os dias são mais longos, onde as chuvas são mais intensas e a sensação de exaustão e enfado aumentam. A sede também aumenta e, às vezes, por secarem os rios é necessário sair do estado de conforto, arregaçar as mangas, cavar fundo até encontrar água para seu corpo sedento e ao beber procurar uma sombra na esperança de sentir uma leve brisa. Ao lembrar da árvore vemos dois casos: as que tem as raízes rasas que podem secar e não dar frutos na próxima estação, e as que têm raízes profundas, que captam água dos lençóis freáticos e permanecem saciadas e desenvolvendo para produzir seus frutos.

Abra sua Bíblia em João capítulo 4. Nessa passagem, Jesus está conversando com a mulher samaritana ao lado de uma fonte de água e lhe pede água, ela ficou sem entender porque Jesus, sendo judeu, pediu água para ela sendo samaritana, lembrem que esses dois povos não se davam bem, e Cristo diz que se ela conhecesse o dom de Deus, que é a salvação (“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus” Efésios 2:8) ele a daria da água viva e ela nunca mais teria sede, porque ele mesmo, Cristo como sacrifício vivo, é nossa água viva! E nós já temos isso! Já somos salvas pela graça de Cristo, já temos o batismo pelas águas e a promessa da vida eterna pra refrigério da alma, basta sabermos se somos árvores com raízes rasas, que precisam sempre de uma interferência da chuva ou de outra pessoa para crescer, ou se nossas raízes já são profundas onde desenvolvemos nossa salvação como árvores que se nutrem da águas dos lençõis freáticos.

Nessa época de sequidão espitirual devemos buscar o desenvolver a nossa salvação, como Paulo exortou aos filipenses em sua carta quando disse “[…] desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade”. Filipenses 2:12-13. Vida espiritual individual, crescimento individual. Ler a palavra de Deus. Não ler pra dizer que leu a Bíblia todos os dias, afinal um golinho de água não sacia a sede de um dia todo sem água. Estudar a Palavra, fincar as raízes, ir fundo, se fortalecer e se deleitar no deslumbrante Criador que, por sua graça imerecida, nos permitiu acesso direto a Ele através do sacrifício de seu único Filho. Estando forte os frutos serão maiores e mais suculentos.

OUTONO: Tempo dos frutos

Ah, o outono! A estação em que o clima vai ficando mais fresco, onde a variedade de alimentos que precisam de plantio é maior, onde a mudança é aparente pelas folhas e temperatura e a preparação para a próxima estação começa. As árvores que dão seu fruto desde o verão e tem seus frutos retirados, tornam a dar mais frutos até a época em que começam a perder suas folhas. Você sabe por que as folhas caem? Com a diminuição da clorofila, as folhas das árvores tornam-se amareladas ou avermelhadas. A planta começa, então, a produzir um hormônio chamado ácido abscísico. Ele se acumula na base da haste das folhas, o pecíolo, matando as células daquela região. O pecíolo acaba se rompendo e a folha cai, sem precisar mais ser alimentada pela árvore, que pode, então, usar essa energia para seu próprio aquecimento. Vocês achando que ia ser apenas um estudo e olha nós aprendendo sobre o ciências e ecologia, hein?!

Abra sua Bíblia na passagem de João 15. Cristo diz aqui que é ele a videira e nós os ramos. Vamos ler do versículo 1 a 4 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.” O cristão é comparado a árvore na Palavra de Deus, mas também comparado a ramos. Nós não vivemos por nós mesmas, somos dependentes, os frutos que damos e são perceptíveis as pessoas que nos conhecem não partem exclusivamente de nós, é um reflexo da árvore em que pertencemos, alimentada pela água viva! Elisabeth Elliot diz em seu livro “O sofrimento nunca é em vão” que “Tudo o que temos vem dele e não temos nada a oferecer senão aquilo que ele nos deu.” Não damos maçã se somos ramos da videira, devemos dar… uvas, porque somos criadas a imagem dEle, todos os pontos apresentados em Gálatas 5:22 que são um só, o Fruto do Espírito, deve sair de nossos ramos. Somos árvores frutíferas e não um arbusto que só produz folhas. Você já pensou em como estão os seus frutos?

Mas, depois dos frutos, como vimos na pequena aula de ecologia, a árvore começa a perder suas folhas, porém o objetivo é para se aquecer no inverno. Prioridades, irmãs! Podemos aprender prioridades aqui! Deixar de alimentar as folhas para se aquecer no inverno. Deixar o que é desnecessário para se aproximar do calor de Deus. Às vezes, também ter a sabedoria de deixar e dizer não para algo que, sim, seria bom, mas para exercer da melhor maneira algo que seja prioridade na sua vida. Pensem comigo no que é melhor: fazer mil coisas e todas “meia boca” ou fazer o mínimo porém com excelência? Para o nosso Deus, tudo deve ser feito com excelência. Deixe as folhas caírem e se aqueça para o inverno.

INVERNO: Tempo para se aquecer

Frio! A primeira palavra que nos vem a mente quando falamos de inverno. Comida quentinha é a outra, hehe. Nessa estação, as árvores sem folhas e com a aparência de morta está passando por um processo interno que a ajuda a manter-se viva. Durante o inverno, com as baixas temperaturas e diminuição das horas de luz acontece com algumas plantas o que os biólogos chamam de “estresse ambiental”, que pode ser considerado uma adaptação necessária para que elas consigam sobreviver. Ao contrário do que muita gente pensa, o frio é essencial para o desenvolvimento de algumas espécies. As plantas também produzem hormônios, como vimos no outono, e eles são responsáveis por desencadear a produção de substâncias na forma de carboidratos, que são armazenados no caule e raízes para que tenham nutrientes o suficiente para florescerem na primavera. Elas parecem estar em hibernação, parecem estar sofendo, mas na verdade estão se aquecendo e desenvolvendo.

Sofrimento. Quem nunca passou por isso, não é? Lembram de Paulo? Vamos para II Coríntios 11: 23- 30. Paulo relatou e deixou registrado para que lembrássemos por tudo o que ele passou, vejam: “São ministros de Cristo? (Falo como fora de mim.) Eu ainda mais: em trabalhos, muito mais; muito mais em prisões; em açoites, sem medida; em perigos de morte, muitas vezes. Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar; em jornadas, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos entre patrícios, em perigos entre gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez. Além das coisas exteriores, há o que pesa sobre mim diariamente, a preocupação com todas as igrejas. Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu não me inflame? Se tenho de gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza.” E mesmo depois de tudo isso ele ainda escreveu em Filipenses 4:11 que aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação. Já estudamos sobre contentamento, mas temos praticado em nossa vida? O sofrimento te faz ficar mais distante ou mais próxima de Deus?

No inverno temos a tendência de comer mais e isso acontece para que o nosso corpo crie mecanismos através da gordura para se aquecer. Ao se aproximar de Deus e se alimentar da Palavra dele seu coração se aquecerá e Ele, somente Ele, será suficiente para que você passe por seu inverno. Aceitar o inverno é melhor do que ficar reclamando e esperando pelo calor, e aqui cito novamente Elisabeth Elliot com uma frase que me marcou em seu livro “Então, para mim, esta é a chave para a aceitação: o fato de que nunca é em vão.” Isso vindo de uma mulher que ficou viúva pela primeira vez ao ter seu marido assassinado na tribo que iria evangelizar (como o pastor contou no outro domingo) ficando não somente viúva, mas mãe de uma bebê; ficou viúva pela segunda vez com a morte de seu marido por causa de câncer; uma terceira vez também, e no final de sua vida não conseguia se comunicar verbalmente e sua lucidez já a deixava. Sim, essa mulher fez esse estudo sobre o sofrimento não ser em vão. Nada! Nada do que você passou ou está passando é em vão. Seja pequena ou grande aos seus olhos, seja como estrondoso onde todos vejam e orem por seu sofrimento, ou silencioso, onde seu coração só se abra com o Pai, aceite o inverno e tenha contentamento, “plena satisfação na vontade de Deus” como nos ensinou Nancy Wilson no livro “Contentamento”. Não é fácil passar pelo inverno, mas é necessário. Se aqueça, se aproxime do Supremo Criador, ingira seus nutrientes essenciais, para que na primavera você floresça e glorifique de maneira mais leve o amor e cuidado que o Pai teve com você em todos esses momento.

CONCLUSÃO

Retomando nosso versículo tema “É ele quem muda o tempo e as estações…” Daniel 2:21, e em Salmo 19:1-4a também vemos que “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo[…]”. Somos cercados pela criação do Senhor e podemos aprender muito ao observa-la. Tire um tempo para sair e comtemplar as maravilhas do nosso Deus Criador. Contemple sua criatividade em criar cada minúsculo detalhe que nossa mente limitada jamais consegueria e, ao final desse tempo, medite na obra que Ele tem para a sua vida, afinal, não importa a estação da natureza ou nossa estação espiritual, devemos sempre nos lembrar de que todas as estações são completas Nele e por Ele! Nele florescemos, nele frutificamos, nele crescemos, nele nos alimentamos e para ele voltaremos!

Até o proximo post…=]

Ass. Danielli L. Longo

Publicidade

5 comentários em “As quatro estações espirituais!”

  1. Olá boa noite!
    Te agradeço, por permitir que o Senhor Jesus lhe usasse para transmitir esta mensagem via texto para todos nós! Não só recebi esta mensagem como também vou passar a diante aquilo que aprendi, peço que vc continue nesta força, força esta, que vem de Deus, que Senhor te abençoe grandemente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s